Rússia oferece dinheiro e vantagem em universidades para atrair voluntários à Ucrânia

Analistas avaliam que mais de 30.000 voluntários podem ser mobilizados para complementar as fileiras russas esgotadas por cinco meses de combate

Porto Velho, RO - Em toda a Rússia, batalhões de voluntários estão sendo formados para a guerra na Ucrânia, juntando-se à chamada “operação militar especial” declarada pelo presidente Vladimir Putin em fevereiro.

A chamada foi enviada com apelo tanto para o patriotismo quanto para as carteiras dos russos. Nem sempre é necessária experiência militar relevante. O recado foi espalhado de Murmansk, no Círculo Polar Ártico, à Perm, nos Urais, e Primorsky Krai, no Extremo Oriente russo.

Ao todo, os analistas avaliam que mais de 30.000 voluntários podem ser mobilizados para complementar as fileiras russas esgotadas por cinco meses de combate – entre um quarto e um terço da força mobilizada para conquistar a região leste de Donbas, onde a maioria dos voluntários provavelmente será enviada.

Na semana passada, Richard Moore, chefe do MI6, serviço secreto de inteligência do Reino Unido, disse a Jim Sciutto, da CNN, que “os russos terão cada vez mais dificuldade em fornecer mão de obra e material nas próximas semanas”.

Putin há muito resiste à ideia de uma mobilização geral na Rússia, e a convocação desta primavera foi semelhante à de 2021. Esses batalhões são uma maneira de aumentar o efetivo militar da Rússia sem uma medida tão drástica. Eles também parecem estar focados em regiões mais pobres e isoladas, usando a atração do dinheiro rápido.

Cartaz de recrutamento convocando “homens de verdade” de até 49 anos para se juntarem à luta na Ucrânia promete altos salários, além de treinamento e seguro / Divulgação

O impacto que esses batalhões podem ter é uma questão em aberto. Unidades de voluntários chechenos desempenharam um papel descomunal na campanha de Donbas, especialmente em Mariupol. Mas eles estão relativamente bem equipados e têm uma vasta experiência militar. Os batalhões reunidos em outros lugares claramente não.

Kateryna Stepanenko, pesquisadora russa do Instituto para o Estudo da Guerra em Washington, diz: “Alguns batalhões participarão exclusivamente de apoio ao combate e operações de apoio ao combate (como batalhões de logística ou de sinalização), enquanto outros reforçarão unidades militares pré-existentes ou formar batalhões de combate.”

Mas ela acrescenta: “É improvável que o treinamento de curto prazo transforme voluntários sem experiência prévia em soldados eficazes em qualquer unidade”.
A CNN pediu comentários do Ministério da Defesa russo sobre o programa do batalhão de voluntários.
Patriotismo e dinheiro

Stepanenko diz que o processo está sendo conduzido de Moscou. “O Kremlin supostamente ordenou que todos os 85 súditos federais russos (regiões da Federação Russa mais a Crimeia ocupada e Sebastopol) recrutassem batalhões voluntários para evitar declarar mobilização parcial ou total na Rússia”.

Mas espera-se que as regiões ajudem a financiar o recrutamento, o que, segundo ela, “coloca uma forte pressão nos orçamentos regionais”. Krasnoyarsk, na Sibéria, por exemplo, teve que reservar cerca de US$ 2 milhões para o projeto, disse Stepanenko.

As qualificações exigidas para ingressar variam de lugar para lugar. Um folheto online em Kazan, no Tartaristão, disse: “Convidamos homens com menos de 49 anos que serviram anteriormente nas forças armadas e oferecemos um contrato de 4 meses em sua especialização militar”.

Em outros lugares, homens até a idade de 60 anos sem antecedentes criminais são elegíveis. Muitas vezes, não há exigência de experiência militar anterior listada em avisos online.

Fonte: CNN Brasil

Postar um comentário

0 Comentários

Close Menu