Campanha coordenada pelo MP mobilizou estudantes de todo o Estado



A Campanha “Juntos, Fazemos Bonito”, desenvolvida pelo Grupo de Atuação Especial da Infância, Juventude e Educação do Ministério Público, sob a coordenação da Promotora de Justiça Marcília Ferreira da Cunha e Castro, resultou em adesão bastante expressiva das escolas públicas de Rondônia.

A Campanha relativa ao 18 de maio, dia nacional de combate ao abuso e exploração sexual contra crianças e adolescentes, teve como objetivos mobilizar, sensibilizar, informar e convocar a sociedade para uma reflexão sobre a temática, além de conscientizar sobre a necessidade de denunciar os crimes dessa natureza.

Na Capital, o envolvimento das escolas foi intenso. Teve ainda pit-stop organizado pela Secretaria Municipal de Ação Social e outras entidades. No interior, não foi diferente. Em Ariquemes, alunos e professores prepararam cartazes e atividades envolvendo toda a comunidade escolar.

Em boa parte das cidades, após articulação realizada pelo GAEINF com a colaboração da Undime, as crianças foram até as sedes do Ministério Público, como Jí-Paraná, Cacoal, Vilhena, Chupinguaia, ainda na região da Zona da Mata, como Nova Brasilândia do Oeste, dentre outras Comarcas, e, de forma simbólica, plantaram as flores amarelas, símbolo da campanha, confeccionadas pelos estudantes. Em todas houve a participação dos Promotores de Justiça.

Tamanho envolvimento foi destacado pelas Promotoras de Justiça Tânia Garcia Santiago e Marcília Ferreira da Cunha e Castro. Ambas enfatizaram a importância dessa interação do MPRO com a comunidade escolar e falaram da repercussão também na mídia e nas redes sociais. “Essa conscientização é preciosa para a formação dessa rede social de proteção a crianças e adolescentes vítimas desse tipo de crime, muito mais comum do que se imagina, destacou a Promotora Marcília.

A Promotora de Justiça Tânia Garcia Santiago reforçou o papel do Ministério Público no contexto da malha protetiva contra a violência sexual de crianças e adolescentes. “Temos que abrir os olhos da sociedade para que saibam que qualquer ato nesse contexto, envolvendo os menores de 18 anos é crime e precisa ser denunciado e punido”, concluiu a Promotora.


GCI - Gerência de Comunicação Integrada

Postar um comentário

0 Comentários

Close Menu