200 corpos são encontrados em um porão de Mariupol

Civis descem caixão do militar ucraniano Oleksander Matyukhin, em Kharkiv — Foto: Bernat Armangue/AP

Porto Velho, RO - Trabalhadores que cavavam os escombros de um prédio residencial em Mariupol encontraram 200 corpos, disseram autoridades ucranianas nesta terça-feira (24), um lembrete sombrio dos horrores que ainda vêm à tona na cidade em ruínas que viu alguns dos piores sofrimentos da guerra de três meses.

"Os corpos encontrados no porão do prédio desmoronado estavam em decomposição e um fedor impregnava o bairro", disse Petro Andryushchenko, assessor do prefeito. Não está claro quando eles foram descobertos.

Empoleirada no Mar de Azov, Mariupol foi implacavelmente atacada durante um cerco de meses que finalmente terminou na semana passada, depois que cerca de 2.500 combatentes ucranianos abandonaram uma usina siderúrgica onde haviam resistido pela última vez.

Homem senta em banco perto de um prédio destruído em Mariupol, no leste da Ucrânia, no dia 9 de maio de 2022 — Foto: REUTERS/Alexander Ermochenko

As forças russas já controlavam o resto da cidade, onde cerca de 100.000 pessoas permanecem fora de uma população pré-guerra de 450.000, muitas presas sem comida, água, calor ou eletricidade.

As autoridades ucranianas disseram que pelo menos 21.000 pessoas foram mortas e acusaram a Rússia de tentar encobrir a extensão dos horrores trazendo equipamentos móveis de cremação. Eles também alegaram que alguns dos mortos foram enterrados em valas comuns. Os ataques também atingiram uma maternidade e um teatro onde civis estavam abrigados.

O presidente ucraniano Volodymyr Zelensky acusou os russos de travar uma “guerra total”, buscando infligir o máximo de morte e destruição possível ao seu país.

Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, em discurso para o Fórum Mundial de Economia, em Davos — Foto: Markus Schreiber/AP

As forças russas intensificaram os esforços para cercar e capturar Sievierodonetsk e cidades vizinhas, a única parte da região de Donbass, Luhansk, que permanece sob controle do governo ucraniano, disseram autoridades militares britânicas na terça-feira.

As forças russas alcançaram “alguns sucessos localizados” apesar da forte resistência ucraniana em posições entrincheiradas, disse o Ministério da Defesa do Reino Unido, mas a queda de Sievierodonetsk e a área ao redor pode causar problemas logísticos para os russos.

Residentes de Kharkiv ficam abrigados em estações de trem — Foto: Bernat Armangue/AP

Galina Kolembed, coordenadora do centro de distribuição de ajuda, disse à Associated Press que mais e mais pessoas estão retornando à cidade de Kharkiv depois que as forças russas se retiraram para se concentrar no Donbas.

Kolembed disse que o centro está fornecendo comida para mais de 1.000 pessoas todos os dias – um número que continua crescendo. “Muitos deles têm filhos pequenos e gastam seu dinheiro com as crianças, então precisam de algum apoio com comida”, disse ela.

Por Associated Press
Fonte: G1

Postar um comentário

0 Comentários

Close Menu