Caso decida participar da campanha, a quem Ivo Cassol vai apoiar na disputa pelo governo do estado?



Porto Velho, RO - Toda a questão essencial em relação à disputa pelo governo, a principal pergunta, o que se ouve nos meios políticos e nos bastidores se transforma em uma pergunta simples e objetiva: quem será beneficiado com a saída de Ivo Cassol da campanha eleitoral e pela disputa à cadeira do Palácio Rio Madeira/CPA? A resposta não é tão simples.


Vai depender muito da posição do próprio Cassol, sobre seu eventual interesse em participar, mesmo que indiretamente, do pleito de outubro. O que se sabe, por amigos e pessoas que conversaram com o ex-governador, é que, a princípio, ele pretende ficar distante do processo. Questionado por este Blog se falaria sobre a decisão do STF, que o tirou da disputa, Cassol disse apenas uma frase curta: “Deus sabe o que faz!”.


Mas, como um ser político, que jamais deixou de, seja ativamente, seja de forma indireta, participar do mundo em que teve mandatos de grande sucesso, pode ser que o ex-governador e ex-senador decida, mais à frente, entrar na campanha. Inclusive, para dar um suporte importante à sua irmã, Jaqueline Cassol, candidatíssima à única vaga ao Senado. Para que lado ele tenderia, caso mudasse de opinião sobre uma eventual participação na campanha? Cassol já esteve próximo do deputado federal Léo Moraes, com quem conversou sobre a sucessão estadual, mas nenhuma decisão definitiva foi tomada.


Com relação ao senador Marcos Rogério, dificilmente haveria algum acordo, porque ambos têm posições muito diferentes e não há uma ligação política histórica entre os dois. Já sobre uma aproximação com o governador Marcos Rocha, as possibilidades seriam concretas, na medida em que os dois têm pontos em comum: ambos são de direita; ambos apoiam a reeleição do presidente Jair Bolsonaro e ambos têm, na atual deputada Jaqueline Cassol, uma intermediadora de peso.

Claro que as coisas da política nunca podem ser dadas como definitivas. O que é concreto é que, queira-se ou não, Cassol é um grande líder político e tem milhares de apoiadores. Seria, caso candidato, um nome com imenso potencial eleitoral para chegar novamente ao poder. Sua exclusão, pela decisão do STF, não o afasta totalmente da lides políticas, o que aconteceria apenas por vontade própria.


O que se pode imaginar é para que lado Cassol tenderia, caso decidisse participar, de alguma forma, do processo da sucessão estadual. Claro que há outras importantes forças políticas, como o MDB, ainda o maior partido do Estado e que até agora não definiu para que lado vai, embora esteja conversando com todos os candidatos de centro e de direita, mas não deixou de “namorar” o advogado e professor Vinicius Miguel, candidato importante da esquerda rondoniense.


Enfim, os três nomes que até agora aparecem com maior potencial (Marcos Rocha, Marcos Rogério e Léo Moraes), estão buscando apoios onde podem. Cassol e o MDB são forças que não se pode ignorar, para quem quer vencer uma eleição. Veremos, em breve, quem vai conseguir cooptar essas duas forças políticas.

GASOLINA PODE CHEGAR A 7,25 E ÓLEO DIESEL A ATÉ 7,30 POR LITRO, NOS POSTOS DE COMBUSTÍVEIS DE RONDÔNIA


Vem aí um grande aumento no preço dos combustíveis para o consumidor final. O rondoniense poderá pagar em média, na bomba dos postos, pelo menos 60 centavos a mais no preço da gasolina, por exemplo. Ou seja, na média de 6,65 cobrados até a quinta-feira, o reajuste da sexta, pode levar os preços para, no mínimo, 7,25.


Pode ser mais ainda. Já o óleo diesel, que custa hoje algo em torno de 6,40, aumentará pelo menos 90 centavos por litro, podendo ir para 7,30. Ou seja, caso os cálculos provisórios estejam certos, o óleo diesel pode passar a custar mais do que a gasolina, para o consumidor final. E as coisas piorariam mais ainda, caso o governo do Estado decidisse não prorrogar o desconto do ICMS no preço final, o que, felizmente, não vai acontecer. Já haveria uma decisão de manter o Preço Médio Ponderado ao Consumidor Final, chamado de PMP, ou seja, traduzindo tudo isso para um linguajar comum: o ICMS continuará reduzido em Rondônia.


Os donos de postos é que estão preocupados, já que sabem que, cada vez que há um aumento deste tamanho, eles têm sim prejuízos, pela diminuição do consumo e, mais ainda, eventualmente ainda tem gente que acha que a culpa dos preços altos é do posto, ignorando todo o sistema de custos. Os postos, na verdade, nunca têm uma margem de lucro acima de 10 por cento.Tanto quanto os consumidores, eles também são vítimas deste sistema complexo de refino, produção e distribuição dos combustíveis no Brasil. 

BOTIJA AUMENTA EM CERCA DE 10 REAIS, MAS AUXÍLIO GÁS PARA OS MAIS POBRES CONTINUA NO MESMO VALOR


Neste pacote de aumentos dos derivados de petróleo, o preço da botija de gás de 13 litros, é um dos componentes que mais atinge em cheio o bolso das pessoas mais pobres, embora também pese no orçamento da classe média. A verdade é que milhões de brasileiros e muitos rondonienses não têm condições de comprar o gás para cozinhar a sua pouca comida. Em algumas regiões do Estado, já se encontra o gás a algo muito perto de 130 reais.


Em Porto Velho, procurando bem, se encontra o produto de 13 quilos entre 105 reais e até 120 reais. Com o aumento que está sendo anunciado para os derivados de petróleo, o preço do gás, que não aumentava desde outubro do ano passado, portanto há cinco meses, vai subir para entre 115 e 130 reais na Capital, mas poderá chegar a até 140 reais em algumas cidades do Estado. Em relação às famílias consideradas muito pobres, elas têm um programa social importante, de apoio, dado pelo governo federal.


Só em Porto velho, cerca de 21 mil famílias são beneficiadas pelo vale gás, com cerca de 52 reais. Isso reduz muito o preço final e ajuda aos que menos rem. Mas, para os que ganham um pouco mais, não há ajuda alguma. Na verdade, com os aumentos anunciados, toda a população será afetada, porque os combustíveis influenciam diretamente no custo de vida, que, aliás, está aumentando todos os dias.

NO MEIO DAS CRIANÇAS, ROCHA CONTA SUA HISTÓRIA, DÁ AUTÓGRAFOS E SE EMOCIONA


A equipe de apoio, aquela que cerca o governador Marcos Rocha onde ele vá, ao percorrer as cidades rondonienses, teve muito trabalho para conseguir tirá-lo de um evento que, para ele, poderia durar mais algumas horas. Foi na cidade de Pimenteiras, onde Rocha e seu time foram levar o programa Tchau Poeira e outros benefícios à comunidade.


Tudo aconteceu na escola estadual Inácio de Castro, onde o Governador foi recebido por um grande número de crianças, que o trataram como um verdadeiro pop star, pedindo autógrafo e mensagens a próprio punho. Foi assim que o Coronel que comanda o Estado, por alguns momentos, se derreteu ante o carinho das crianças e adolescentes. Com longa agenda a cumprir, o Governador se deixou levar pela emoção.


Entusiasmado, contou às crianças e adolescentes sua história. Órfão de mãe aos 12 anos, foi sua família que o pressionou a estudar e estudar; a não se envolver com drogas; a buscar a superação dos obstáculos que a vida lhe impôs. Quanto mais falava, mais alunos o cercavam, com aplausos, conversas, gritarias e pedidos de mais autógrafos. Em todos eles, Rocha ainda acrescentava uma mensagem especial ao aluno. O tempo corria e a equipe de governo começava a se desesperar, temendo um atraso enorme na agenda.


Rocha foi ficando e se envolvendo, num dos momentos que considerou entre os mais emocionantes, dos últimos tempos, em sua administração. Levou tempo para que as crianças o deixassem ir e ele decidisse ir embora, cheio de emoção e agradecimento. No meio de tantos dramas, problemas imensos, duríssimos obstáculos a superar, vale a pena contar, mesmo que muito resumidamente, que, no final das contas, são as crianças que mais tocam o coração das pessoas, não importa o quanto poderosas elas são.

MONTES, RELATOR DA CPI DA ENERGISA, VOLTA A ATACAR E DIZ QUE “EMPRESA SUBMETE CONSUMIDOR À HUMILHAÇÃO”!


Relator da CPI da Energisa, o deputado Jair Montes voltou a criticar duramente a empresa, em pronunciamento na Assembleia Legislativa. Segundo o parlamentar, “a Energisa continua submetendo o consumidor à humilhação!”.


Montes deu como exemplo, episódio em que o dono de um imóvel foi constrangido por policiais militares e integrantes da polícia Técnico-Científica, por suspeita de gato na energia. O caso, aliás, foi acompanhado pelo advogado Breno Mendes, que fez a denúncia e divulgou um vídeo nas redes sociais.


O deputado do Avante afirmou ainda que não se compreende que a lei em vigor, que determina que o usuário seja notificado antes do corte de energia, não esteja sendo cumprida. Prometeu também convocar o comandantes da PM e o diretor da Politec, para esclarecimentos ante o Parlamento, dos motivos pelos quais PMs e membros da polícia técnica estariam a serviço da Energisa.


De um lado, a Energisa merece destaque, por estar investindo mais de 2 bilhões e 500 milhões de reais em Rondônia. Mas de outro, como ocorreu na ALE esta semana, continua sendo criticada pela forma como tem tratado alguns dos seus clientes. O deputado Jair Montes promete não dar trégua, nos casos em que houver denúncias de exageros. Vem mais coisa por aí. 

PROMOTORAS DO MP HOMENAGEADAS NA ASSEMBLEIA, REGISTRAM AUMENTO DA VIOLÊNCIA CONTRA AS MULHERES



Um assustador aumento de 29 por cento nos casos de feminicídio em Rondônia, durante o período da pandemia, foi relatado por representantes do Ministério Público de Rondônia, durante audiência na Assembleia Legislativa, nesta semana em que se comemorou o Dia Internacional da Mulher.


O percentual deve ter aumentado, já que depois do evento, pelo menos duas mulheres foram assassinadas, uma delas no distrito de Extrema, um caso ainda não esclarecido, mas com suspeito de mais um feminicídio. “É um cenário preocupante. Rondônia ocupa o sexto lugar no Brasil, nos índices desse tipo de crime. Também são angustiantes os números de estupro e, igualmente, os registros de violência doméstica contra a mulher”, relatou a promotora Flávia Barbosa Shimizu Mazzini.


Ela participou do evento junto com a Ouvidora-Geral do Ministério Público, a promotora Andréa Luciana Damacena Ferreira Engel. Ambas foram homenageadas na sessão proposta pelo deputado dr. Neidson, pelo Dia da Mulher. Para se ter ideia sobre a tragédia que assola as mulheres, em apenas nos dois primeiros meses deste ano, 14 delas tiveram morte violenta e, pelo menos cinco casos foram confirmados como mortes causadas pelo marido, companheiro ou namorado.

ZÉ JODAN NÃO VAI SER CANDIDATO A VICE. ELE VAI DISPUTAR CADEIRA NA ASSEMBLEIA OU NA CÂMARA FEDERAL


Há um personagem da política estadual que, sem alarde, teve papel importante no atual governo. O vice-governador Zé Jodan trabalhou muito mais nos bastidores do que para as câmeras, mas foi um importante parceiro para Marcos Rocha.


O governador não teve problema algum com seu vice, mantendo uma relação muito amigável, de parceria e sempre elogiada pelo Chege do Executivo rondoniense. Aliás, deve-se destacar também as boas relações dos dois últimos governadores com seus vices: tanto João Cahulla quanto Daniel Pereira foram vices da paz e de cordialidade, respectivamente, com Ivo Cassol e Confúcio Moura. Prova disso é que os dois assumiram o governo quando os titulares deixaram o cargo para disputarem o Senado.


No atual governo, já estaria definido que Zé Jodan não seria novamente o companheiro de chapa de Marcos Rocha. Eles estão conversando ainda sobre se o atual vice disputará uma cadeira à Assembleia Legislativa ou à Câmara Federal. Rocha ainda não definiu o perfil do seu novo vice, na busca para a reeleição, até porque as conversações políticas ainda estão em andamento.


Enquanto isso, Jodan continua trabalhando em silêncio, qual mineiro e ajudando o governo a andar, como o fez, sempre sem alarde ou preocupações midiáticas, nas vezes em que assumiu temporariamente o governo.

POLÊMICA NA ESCOLHA DOS NOMES PARA O FUTURO JUIZ ELEITORAL, INDICADOS PELA OAB


Um grupo de advogados rondonienses não anda nada satisfeito com a forma como a OAB escolheu os nomes dos seus membros, que concorrerão à vaga de juiz do Tribunal Regional Eleitoral. Claro que os que reclamam preferem se resguardar e não fazer críticas públicas, mas é notório o mal- estar que o assunto causou no meio de profissionais da área.


A forma de escolha dos nomes (eram 24 candidatos), teria beneficiado conselheiros da OAB e demais membros da gestão, escolhidos por quem? Pelos próprios conselheiros. A princípio não é ilegal integrantes da OAB participarem da escolha, porém, o grande número de integrantes escolhidos deixaria à mostra, um aparente desiquilíbrio do processo. Além disso, as inscrições terminaram dia 3 de março, um dia depois do carnaval e a decisão foi anunciada rapidamente, menos de uma semana depois.


Um dos profissionais descontentes, lamentou “a forma açodada com que o assunto foi tratado” e, mais que isso, a forma de escolha, “que não teria priorizado currículos, mas amizades e parcerias”. Há ainda outras críticas, que certamente virão a tona em breve. Dos seis nomes escolhidos pela OAB, o Tribunal de Justiça escolherá três e, desta lista tríplice, sairá o novo juiz eleitoral designado pela entidade dos advogados, que assumirá a vaga, a partir de escolha do Presidente da República. O caso ferve no meio dos advogados, mas, por enquanto, apenas internamente. Esperemos os próximos capítulos e a posição da OAB, caso, claro, a entidade queira se pronunciar.

PERGUNTINHA


Qual sua opinião sobre a decisão do STF, que impede que Ivo Cassol, uma das mais importantes lideranças políticas do Estado, dispute o Governo rondoniense, nas eleições deste ano?

Postar um comentário

0 Comentários

Close Menu