Publicidade

Frango: preço dos insumos sobe e diminui poder de compra do avicultor



Os preços do frango vivo caíram no mercado interno, refletindo uma diminuição das vendas de carne de frango desde o fim de dezembro, segundo o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea). 

Já os preços de milho e farelo de soja, importantes insumos de ração, subiram, reduzindo o poder de compra do avicultor.

Na média das regiões do Estado de São Paulo, o animal foi negociado a R$ 4,26/kg na parcial de janeiro (até 13), queda de 4,7% ante dezembro, mas ainda 36,6% acima do preço observado em igual mês de 2020.

“As Festas de fim de ano e a consequente diminuição da demanda doméstica por carne de frango reduziram a liquidez do setor, que passou a operar com elevados estoques. Dessa forma, frigoríficos limitaram a demanda por novos lotes de frango vivo, fator que pressionou as cotações”, disse o Cepea.

Os preços de milho se situam na média de R$ 82,60 por saca (região de Campinas), alta de 9,6% ante dezembro. Em janeiro, o valor médio do farelo de soja, também em Campinas, é de R$ 2.729,68 por tonelada, aumento de 5% na comparação com dezembro.

Na média parcial de janeiro, o avicultor pôde comprar 3,1 quilos de milho com a venda de um quilo de frango vivo, 13% menos do que em dezembro e 16,7% menos do que em janeiro de 2020, segundo o Cepea.

No caso do farelo de soja, foi possível ao avicultor a compra de 1,58 quilo do derivado com a venda de um quilo de frango, queda de 8% na comparação com dezembro e de 31,7% ante janeiro do ano passado.


Fonte: Canal Rural