Header Ads

Europa corta dinheiro de cidades polonesas que discriminam gays




Porto Velho, RO  - A Comissão Europeia rejeitou pedidos de subsídios de seis cidades polonesas que se autointitularam “zonas livres de LGBTI” ou proibiram atos de rua por direitos como o casamento gay. Os municípios não poderão receber os repasses de até 25 mil euros (R$ 153 mil) do programa "cidades gêmeas". Em sua justificativa, a comissão, uma espécie de Poder Executivo da União Europeia, afirmou que essas localidades não cumpriram o requisito básico de acessibilidade dos seus projetos a todos os cidadãos do bloco sem discriminação.

"Nossos tratados garantem que todas as pessoas na Europa sejam livres para serem quem são, viverem onde quiserem, amarem quem quiserem e ter o objetivo que quiserem", disse a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, após ativistas afirmarem que o bloco estava recuando nas pressões sobre governos autocráticos.

Segundo o jornal Folha de S.Paulo, a Comissão não revelou o nome das cidades, mas ativistas calculam que cerca de 100 municípios, de um total de 900 no país, passaram a evitar o repasse de dinheiro público a entidades de combate à homofobia ou que trabalhem pela igualdade de direitos.


No começo deste mês, a cidade holandesa de Nieuwegein anunciou que estaria cortando relações com sua gêmea Pulawy, cerca de 120 km a leste de Varsóvia, em repúdio à aprovação, pelo conselho municipal, da "zona livre de LGBT". As declarações não têm poder para retirar direitos civis, mas intimidam as minorias e estimulam a discriminação, de acordo com a UE e entidades de direitos humanos.
Europa corta dinheiro de cidades polonesas que discriminam gays Europa corta dinheiro de cidades polonesas que discriminam gays Reviewed by Admim on sábado, agosto 01, 2020 Rating: 5

Nenhum comentário

Recent Posts

Recent