Header Ads

Porto Velho e mais 20 cidades não podem abrir praças de alimentação em shoppings e centros comerciais






Porto Velho, RO - Além de Porto Velho e Candeias do Jamari, outras 19 cidades passaram para a fase 2 do distanciamento social elaborado pelo Governo do Estado em acordo com a classe empresarial e que não tem embasamento cientifico.

Nessas localidades as atividades comerciais de praticamente todas as áreas podem funcionar, mas com regras sanitárias.

Segundo o Governo, estão na fase 2 as cidades de Alta Floresta do Oeste, Ariquemes, Buritis, Cacoal, Candeias do Jamari, Castanheiras, Colorado do Oeste, Guajará-Mirim, Jaru, Ji-Paraná, Machadinho D'Oeste, Monte Negro, Nova Mamoré, Nova União, Ouro Preto do Oeste, Pimenta Bueno, Porto Velho, Rolim de Moura, São Miguel do Guaporé, Vale do Anari e Vilhena.

Nestes municípios, apesar de serem permitidas as aberturas de shoppings, galerias e centros comerciais, “ficam proibidos de liberarem o funcionamento das praças de alimentação ou atividades congêneres na fase II, constantes no Anexo II, do qual voltará seu funcionamento normal na fase III”, diz o Artigo 11-A do decreto que possibilitou a abertura do comércio.

Também estão proibidos a abertura de casas de show, bares e boates; eventos com mais de 10 pessoas; cinemas, teatros, balneários e clubes recreativos.

As demais cidades rondonienses estão na fase 3.

Veja o que pode abrir:




1. açougues, panificadoras, supermercados e lojas de produtos naturais;




2. atacadistas e distribuidoras;




3. serviços funerários;




4. hospitais, clínicas de saúde, clínicas odontológicas, laboratórios de análises clínicas e farmácias;




5. consultórios veterinários e pet shops;




6. postos de combustíveis, borracharias e lava-jatos;




7. oficinas mecânicas, autopeças e serviços de manutenção em geral;




8. serviços bancários, contábeis, lotéricas e cartórios;




9. restaurantes e lanchonetes localizadas em rodovias;




10. lojas de materiais de construção, obras e serviços de engenharia;




11. lojas de tecidos, armarinhos e aviamento;




12. distribuidores e comércios de insumos na área da saúde, de aparelhos auditivos e óticas;




13. hotéis e hospedarias;




14. segurança privada e de valores, transportes, logística e indústrias;




15. comércio de produtos agropecuários e atividades agropecuárias;




16. lavanderias, controle de pragas e sanitização;




17. corretoras de imóveis e de seguros;




18. concessionárias e vistorias veiculares;




19. restaurantes, lanchonetes, sorveterias e afins para consumo no local;




20. academias de esportes de todas as modalidades;




21. shopping centers e galerias;




22. livrarias e papelarias;




23. lojas de confecções e sapatarias;




24. lojas de eletrodomésticos, móveis e utensílios;




25. lojas de equipamentos de informática e de instrumentos musicais;




26. relojoarias, acessórios pessoais e afins;




27. lojas de máquinas e implementos agrícolas;




28. centro de formação de condutores e despachantes;




29. salões de beleza e barbearias; e




30. atividades religiosas presenciaisfotos







Fonte: Rondoniagora
Porto Velho e mais 20 cidades não podem abrir praças de alimentação em shoppings e centros comerciais Porto Velho e mais 20 cidades não podem abrir praças de alimentação em shoppings e centros comerciais Reviewed by ADMIN3 on terça-feira, junho 16, 2020 Rating: 5

Nenhum comentário

Recent Posts

Recent